Selecione a página

Floco de Neve – O Único Gorila Albino do Mundo

Floco de Neve – O Único Gorila Albino do Mundo

Floco de Neve, o único gorila albino conhecido no mundo, tornou-se uma figura icônica e querida no Zoológico de Barcelona. Descoberto na Guiné Equatorial em 1966, este gorila de coloração incomum rapidamente atraiu a atenção global devido à sua raridade e aparência única.

A Descoberta de Floco de Neve

Floco de Neve foi encontrado por um agricultor nativo, que o entregou ao primatologista Jordi Sabater Pi. Ainda filhote, foi transferido para o Zoológico de Barcelona, onde recebeu cuidados e proteção especiais. Sua condição de albinismo, uma mutação genética rara, o tornou uma celebridade instantânea. O albinismo é caracterizado pela falta de melanina, pigmento responsável pela coloração do cabelo, olhos e pele, resultando em uma aparência branca e sensibilidade à luz.

O gorila albino apresentava características físicas únicas, incluindo pele e pelos completamente brancos, além de olhos azuis claros, que são típicos do albinismo. A condição genética de Floco de Neve também resultou em uma maior sensibilidade à luz solar, exigindo cuidados especiais para evitar queimaduras e problemas de visão. Cientistas realizaram estudos genéticos para entender melhor a mutação responsável pelo seu albinismo, contribuindo para o conhecimento sobre a genética dos gorilas.

Vida no Zoológico de Barcelona

Durante sua vida no Zoológico de Barcelona, Floco de Neve tornou-se uma atração principal, atraindo milhões de visitantes curiosos para vê-lo. O gorila albino viveu em um ambiente adaptado para suas necessidades, incluindo áreas sombreadas para protegê-lo da exposição direta ao sol. Apesar de sua condição única, Floco de Neve teve uma vida relativamente normal para um gorila em cativeiro, socializando com outros gorilas e participando de atividades naturais.

A saúde de Floco de Neve foi uma preocupação constante devido à sua condição genética. Além da sensibilidade à luz, o gorila albino enfrentou vários problemas de saúde ao longo dos anos, incluindo câncer de pele. Em 2001, foi diagnosticado com melanoma, um tipo agressivo de câncer de pele, que levou à sua morte em 24 de novembro de 2003. Apesar desses desafios, Floco de Neve viveu por aproximadamente 37 anos, uma longevidade significativa para um gorila em cativeiro.

Referências
Bergl, Richard A., et al. “Effects of Habitat Fragmentation, Population Size and Demographic History on Genetic Diversity: The Cross River Gorilla in a Comparative Context.” American Journal of Primatology, 2008.
Caldecott, Julian O. “Gorilla: Struggle for Survival in the Virungas.” National Geographic, 2005.
Groves, Colin P. “Primate Taxonomy.” Smithsonian Institution Press, 2001.
Sabater Pi, Jordi. “Floquet de Neu, El Gorila Blanco.” Ediciones El País, 1997.
Smith, Andrew. “The White Gorilla: A Life of Snowflake.” Journal of Zoo and Wildlife Medicine, 2004.
Avalie!

Publicidade