Selecione a página

As Perdas Soviéticas Durante a Guerra

As Perdas Soviéticas Durante a Guerra

A imagem mostra uma vala comum em Stalingrado, capturada por um fotógrafo soviético anônimo em 1942. Esta foto mostra corpos de civis e soldados amontoados, prontos para serem enterrados em massa, ilustrando o enorme número de perdas soviéticas durante a Segunda Guerra Mundial. 

As perdas soviéticas durante a Batalha de Stalingrado

Durante a Batalha de Stalingrado, que ocorreu entre agosto de 1942 e fevereiro de 1943, o Exército Vermelho sofreu perdas devastadoras, com estimativas de aproximadamente 1,1 milhão de soldados mortos, feridos ou desaparecidos. Esta batalha foi uma das mais sangrentas da Segunda Guerra Mundial e um ponto de virada crucial no conflito. A Batalha de Stalingrado simbolizou a tenacidade e o sacrifício dos soldados soviéticos e teve um impacto profundo na moral e na capacidade militar do Eixo.

As enormes baixas do Exército Vermelho

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Exército Vermelho sofreu perdas devastadoras, com aproximadamente 8,7 milhões de soldados mortos, feridos ou desaparecidos. As batalhas titânicas em Stalingrado, Leningrado e Kursk foram particularmente brutais, resultando em um número colossal de vítimas. As táticas de guerra total adotadas pela União Soviética, que envolviam combates intensos e mobilização massiva, contribuíram para estas elevadas baixas. Além disso, a dura resistência soviética às forças nazistas, aliada à escassez de suprimentos e às condições extremas do inverno, exacerbaram ainda mais a mortalidade entre os soldados.

As perdas na população civil soviética

Contudo, as perdas não se restringiram às forças armadas. A população civil dos países soviéticos enfrentou um sofrimento imenso, com milhões de pessoas perecendo devido a cercos, deportações e massacres. Cercos como o de Leningrado resultaram na morte de cerca de um milhão de civis por bombardeios e fome. Além disso, a ocupação nazista foi marcada por atrocidades contra civis, incluindo execuções em massa e trabalhos forçados. As deportações forçadas e os deslocamentos populacionais contribuíram significativamente para o elevado número de vítimas civis.

Memória coletiva da

As enormes baixas tanto do exército quanto da população civil deixaram um impacto duradouro na União Soviética. A memória coletiva desses sacrifícios e horrores da guerra moldou profundamente a identidade nacional soviética. O esforço e a resiliência demonstrados durante a “Grande Guerra Patriótica” se tornaram elementos centrais da narrativa histórica oficial. Este legado continua a influenciar a cultura e a política da Rússia contemporânea, onde a Segunda Guerra Mundial é lembrada com grande reverência e pesar. As perdas humanas imensas sublinham a necessidade de recordar e honrar os sacrifícios feitos durante esse período devastador.

Referências
Beevor, Antony. Stalingrad: The Fateful Siege: 1942-1943. Penguin Books, 1999.
Glantz, David M. When Titans Clashed: How the Red Army Stopped Hitler. University Press of Kansas, 1995.
Merridale, Catherine. Ivan’s War: Life and Death in the Red Army, 1939-1945. Metropolitan Books, 2006.
Overy, Richard. Russia’s War: A History of the Soviet Effort: 1941-1945. Penguin Books, 1997.
Avalie!

Publicidade