Selecione a página

Carta Enviada por Ghandi à Adolf Hitler

Carta Enviada por Ghandi à Adolf Hitler

No dia 23 de julho de 1939, Mahatma Gandhi, um dos líderes mais proeminentes do movimento de independência indiano e um defensor fervoroso da não-violência, escreveu uma carta a Adolf Hitler. Esta correspondência, conhecida como “Dear Friend” (Caro Amigo), foi uma tentativa de Gandhi de persuadir Hitler a evitar a guerra e buscar meios pacíficos para resolver os conflitos internacionais. A carta foi escrita no contexto de uma Europa à beira da Segunda Guerra Mundial.

A carta de Mahatma Gandhi para Adolf Hitler

Na carta, Gandhi apelava a Hitler como um amigo e implorava para que ele reconsiderasse suas ações. Gandhi reconheceu a influência de Hitler e argumentou que a violência e a guerra não trariam benefícios duradouros. Gandhi expressou a esperança de que Hitler usasse seu poder para promover a paz, não a destruição. Não há registros de que Hitler tenha respondido à carta de Gandhi. Dada a natureza e as ações de Hitler, é improvável que ele tenha considerado seriamente os apelos de Gandhi.

Reação internacional

A carta foi mantida em sigilo durante a guerra e não teve uma divulgação significativa na época. Gandhi tentou novamente em 1940, mas mais uma vez, a carta não teve efeito prático. Historiadores e estudiosos veem a carta como um exemplo do compromisso de Gandhi com a não-violência, mesmo em face de uma figura tão agressiva como Hitler. A tentativa de Gandhi de dialogar com Hitler é frequentemente citada como um testemunho de sua fé na bondade humana e na possibilidade de transformação através da paz. A correspondência é um exemplo poderoso de sua abordagem ética e moral aos problemas mundiais, destacando a diferença de filosofias entre Gandhi e os líderes totalitários da época.

Conteúdo da carta de Mahatma Gandhi para Adolf Hitler

Tradução:

“Caro amigo,

Meus amigos vêm me pedindo para lhe escrever pelo bem da humanidade. Mas eu tenho resistindo às solicitações deles, por causa do sentimento que uma carta minha possa ser impertinente. Algo me diz que eu não devo hesitar sobre isso e devo fazer meu apelo, que pode valer a pena.

Está muito claro que você é hoje a única pessoa no mundo que pode prevenir uma guerra que pode reduzir a humanidade a um estado de selvageria. Você consegue pagar esse preço por qualquer coisa que pareça valer a pena, para você? Você irá escutar o apelo daquele que deliberadamente evitou o método da guerra com considerável sucesso? De qualquer forma, eu antecipo seu perdão, se eu errei em escrever para você.

Eu continuo seu sincero amigo.

M. K. Gandhi.”

Referência:
Fischer, Louis. The Life of Mahatma Gandhi. Harper & Row, 1950.
Brown, Judith M. Gandhi: Prisoner of Hope. Yale University Press, 1989.
Dalton, Dennis. Mahatma Gandhi: Nonviolent Power in Action. Columbia University Press, 1993.
Parekh, Bhikhu. Gandhi: A Very Short Introduction. Oxford University Press, 2001.
Weber, Thomas. Gandhi as Disciple and Mentor. Cambridge University Press, 2004.